Com plateia animada, show do Karnak celebrou os 27 anos da banda

Foto: Rubens Crispim

Para os músicos da banda Karnak, tocar na Virada SP de São José dos Campos, teve um gostinho todo especial. É que o show, que rolou no dia 1 de dezembro no Parque Vicentina Aranha, marcou o aniversário de 27 anos da banda. A receptividade do público, que lotou o parque Vicentina Aranha na ensolarada tarde de domingo, não poderia ser melhor.

Tendo à frente o músico e compositor André Abujamra, a banda se consagrou com uma mistura de ritmos e estilos, referências musicais e teatralidade no palco. Neste show, o grupo apresentou um repertório de clássicos que marcaram a trajetória da banda.

Após a apresentação, o líder conversou com a nossa equipe. Confira!

Como foi a experiência para a banda, de tocar na Virada SP, em São José dos Campos? Houve uma interação com o público? 

André Abujamra (Karnak): Lá em cima do palco, tivemos um retorno maravilhoso. Um público animado e aquele entorno lindo do Parque Vicentina Aranha. Muito bom tocar para um público que conhece o trabalho da banda, que canta junto e sabe as letras.

Esse show marcou o aniversário do grupo, que já havia se apresentado na capital, no primeiro semestre. Quão importante é um festival como a Virada SP, levar ao interior do estado atrações que geralmente ficam concentradas nas capitais?

André Abujamra (Karnak): É importantíssimo que existam festivais dessa dimensão e qualidade, no interior do Estado. A cultura é transformadora e precisa ser democratizada. Para o Karnak, foi uma honra participar de um evento como a Virada SP. E foi um momento especial comemorar os 27 anos da banda, em São José dos Campos.  

Deu para notar que o público do parque cantou junto várias músicas nesse show. Como escolheram o repertório para a apresentação? 

André Abujamra (Karnak): Escolhemos o repertório baseados nos quatro discos que lançamos ao longo desses quase 30 anos. Cada música representava um momento da banda, como Alma Não Tem Cor, O Mundo, Zoo, Universo Umbigo. Escolhemos uma música dedicada a todos que sonham em ter uma vida no campo: Juvenar.

Deu para notar que o público do parque cantou junto várias músicas nesse show. Como escolheram o repertório para a apresentação? 

André Abujamra (Karnak): Para escolher o repertório, nos baseamos nos quatro discos que lançamos ao longo desses quase 30 anos de estrada. Cada música representava um momento da banda, como Alma Não Tem Cor, O Mundo, Zoo, Universo Umbigo… E também escolhemos uma música dedicada a todos que sonham ter uma vida no campo: Juvenar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *